Filipinas e a preguiça em Port Barton

Olá, guerreiros e guerreiras à deriva no mar cósmico.

Venho mais uma vez como um buraco negro sugando tudo que existe para o vácuo existencial, inclusive a sua energia profissional. Deixe os compromissos de lado, coloque o celular no mudo, mande o chefe calar a boca e curta mais um relato da viagem. 

Da última vez contei sobre a jornada sem fim para chegar até as Filipinas, mais precisamente para Port Barton. Continuo deste ponto.

Port Barton é puro relax

Port Barton foi um lugar de descanso. Uma praia bem da gostosinha, não necessariamente deslumbrante, mas vizinha de locais legais e com um clima muito agradável. Uma vila simples, sem grandes atrações e sem grandes estruturas. Não é um lugar cheio, tem um clima relaxado, bons bares, restaurantes bacanas, areias confortáveis e convidativas em dias preguiçosos. Se tivéssemos pegado 4 dias de sol por lá teria sido perfeito, mas na verdade foram 2 dias e meio de chuva e tempo ruim, e o resto de deslumbramento do astro rei. O nosso ínicio lá foi complicado, pois foi quando o tempo ruim reinou e o humor da dupla estava inconstante, para dizer o mínimo. Além do cansaço físico veio uma onda de cansaço psicológico acompanhada de questionamentos sobre a viagem. Fato que rolou principalmente com a Má. Mas passou e logo ela começou a se sentir melhor.

Coincidentemente foi quando o tempo abriu e pudemos finalmente curtir um dia preguiça nota 9 nas Filipinas. Dia esse que foi coroado com uma macarrão show de bola do nosso restaurante favorito da vila, o Gorgonzola (foi o único que frequentamos, pois a Má gosta de repetir lugares). Nesse dia comemos massa, mas lá é um lugar famoso por ter uma pizza estupidamente grande. Uma coisa que parece meme de internet, mas que tá ali acontecendo na sua frente e você só se sente grato por presenciar. Não sei se o dono errou as medidas do forno a lenha na hora de construir e agora tem que fazer pizzas enormes para compensar ou algo do tipo, sei que é grande, é bom e existe. Enfim, se um dia estiver por Port Barton vá ao Gorgonzola. 

Olha o tamanho disso – quase sem recheio porque somos mão-de-vaca

Foi em Port Barton que conhecemos uma dupla de irmãos brasileiros, o Ed e o Enzo, os dois muito gente boa. Ali nas areias relaxantes e no clima ébrio da vila nasceu uma parceria incrível, afinal os dois foram nossos companheiros por quase todo o resto das andanças pelas ilhas do Pacífico.

Foram tempos de pouca esforço, apesar de até termos ido andando para uma praia vizinha. Não era nada demais. Voltamos. E pegamos chuva. Mas enfim, como eu dizia antes de perder o fio da meada: Port Barton foi um lugar para se afundar na preguiça e abraçar o clima zen que alguns locais das Filipinas podem oferecer. Caso eu soubesse que outras ilhas/praias seriam tão mais cheias teria ficado muito mais tempo no nosso paraíso regado a reggae, cerveja quente e pizzas descomunais. Minha dica para os viajantes é: aproveite Port Barton. Quer dizer, se você quiser relaxar né, pois se quiser muito agito aí você se vira e pesquisa um lugar melhor. 

Uma casinha perdida no canto da praia

No nosso último dia por lá demos uma explorada na praia e compramos coco de duas menininhas que aparentavam morar em um casebre na ponta menos turística da vila. Também meio que participamos de uma festa de aniversário local de um avô de 60 anos que rodava numa carcaça de aparência de uns 90. Fomos convidados para a celebração apenas porque estávamos andando pela areia e a família, empenhada em um churrasco com peixe pescado na hora, foi com a nossa cara. Devem ter gostado do semblante simpático da Marina, porque eu tenho jeito de bad boy.

Acho que Port Barton está bem resumida por aqui. O que mais teve de significativo foi isso, a superação dos obstáculos mentais e o descanso em um lugar estranhamente charmoso. 

Um dia bom nas Filipinas

Depois disso pegamos o transporte para El Nido, nosso próximo destino em Palawan (esse é o nome da ilha em que estávamos). Mas calma lá, não foi um transporte qualquer, não amigos. Quem me dera.

Foi a Van da Morte.

Uma jornada inesquecível em uma singela máquina de tortura sobre quatro rodas. Entre curvas fechadas e aceleradas insanas do condutor, nada mais fizemos do que tentarmos sobreviver sem esparramar parte das nossas tripas pelo veículo. Quer dizer, a Marina falhou na missão e deixou metade do peso dela em vômito pro dono do automóvel. Ela regurgitou tudo em um saquinho frágil que quase não aguentou o árduo trabalho de conter aquela massa nojenta, porque de novo, foi muita coisa. Quando as luzes da van se acenderam, em uma das paradas, e eu vi o tamanho do “serviço” da minha esposa repousando ainda quente em seu colo não pude conter um riso nervoso. Aquele riso de quem sabe que se a sacola plástica vermelha não desse conta do recado ia ter vômito pra tudo quanto é lado. Felizmente nessa mesma parada nossa heroína de estômago frágil se desfez do pacote maldito e seguimos cambaleantes até a rodoviária de El Nido. Chegamos depois de três horas, semi-vivos, mas chegamos. As estradas e os motoristas do sudeste asiático são uma aventura à parte.

El Nido é uma cidade estranha, parece apenas uma pontinha de concreto perto de uma praia com algumas ramificações em outras direções, como um vírus se espalhando. Nada do charme ou “vibe gostosinha” tão presente nas cidades litorâneas, mas com uma horda de turistas. Lá é um local que está ficando muito popular entre viajantes. As grandes belezas estão em lugares próximos, já que a cidade fica quase no extremo norte da ilha de Palawan, e é perto de diversas outras ilhotas paradisíacas.

O clima único das praias Filipinas

\PARAAAAAAAAAAA PARAAAAAAA PARAAA – Kleber, João

Mas El Nido  e nossas aventuras pelas estradas Filipinas são temas do próximo post. Aguarde, leitor ansioso.

Beijos quentes

3 comentários em “Filipinas e a preguiça em Port Barton

  1. O melhor é pensar que tudo se embola na sua van interior e vira um jorro criativo de imprevisíveis consequências… Haja saquinho! ;))

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s